PANORAMA2-Petróleo assusta, mas Bovespa recupera força no final

quarta-feira, 17 de outubro de 2007 18:58 BRST
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 17 de outubro (Reuters) - A disposição do petróleo em bater sucessivos recordes voltou a assustar os mercados financeiros, mas o fechamento mais brando da commodity ajudou a desanuviar o clima do mercado, dando espaço para um forte impulso na Bolsa de Valores de São Paulo.

Ainda assim, o mercado acionário norte-americano acabou dividido, o que ajudou na valorização do dólar no Brasil.

A alta do petróleo em Nova York para o recorde de 89 dólares por barril foi disparada pelo aval do Parlamento da Turquia a uma operação militar no norte do Iraque. No final do dia, no entanto, o barril da commodity acabou cedendo e fechou em queda pela primeira vez em sete sessões.

O clima ruim ofuscou resultados positivos de grandes empresas de tecnologia, como a Intel (INTC.O: Cotações) e o Yahoo (YHOO.O: Cotações), que haviam sustentado o mercado no começo do dia.

"Não houve ao final tanto efeito dos lucros de tecnologia sobre o mercado. As pessoas estão preocupadas com o consumo --o petróleo está em níveis recordes e ainda há preocupação com as hipotecas", disse Bobby Harrington, diretor de operações do UBS, em Stamford, Connecticut.

O mercado norte-americano recebeu também alguns dados econômicos desanimadores. O início de construção de moradias caiu em setembro para o menor nível em mais de 14 anos, e os preços ao consumidor subiram para o maior nível desde maio.

No entanto, a alta da inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) já era esperada pelo mercado, e teve pouca repercussão sobre os negócios.

Outro relatório publicado nesta quarta-feira, o Livro Bege do Fed, mostrou que a atividade econômica cresceu em todos os distritos do BC norte-americano, mas que o ritmo da expansão desacelerou desde agosto e os mercados imobiliários continuaram a se enfraquecer.   Continuação...