23 de Outubro de 2007 / às 03:40 / 10 anos atrás

Para Temporão, Ministério da Saúde fecha se CPMF acabar

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, fez um apelo pela prorrogação da CPMF e previu consequências dramáticas para o setor caso o imposto não seja prorrogado até 2011.

“O Ministério da Saúde fecha se não tiver CPMF ano que vem”, afirmou Temporão em entrevista à Radiobrás, nesta quarta-feira.

“Todas as 11 milhões de internações que vão acontecer este ano não poderão acontecer ano que vem. Então, a população não vai poder ser internada. Todas as cirurgias realizadas pelo Sistema Único de Saúde são financiadas pela CPMF. Então não vamos poder operar ninguém”, disse Temporão.

O ministro da Saúde acompanhou o presidente interino José Alencar em visita ao Senado para sensibilizar os senadores a votarem favoravelmente à prorrogação da CPMF.

Criada inicialmente para fortalecer a saúde, a CPMF tem uma arrecadação estimada de 38 bilhões de reais para o ano que vem. O orçamento do Ministério da Saúde para 2008, segundo Temporão, é de 48 bilhões de reais.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below