October 23, 2007 / 3:42 AM / 10 years ago

CORREÇÃO-Após 18 cortes, BC opta por "pausa" e mantém Selic

3 Min, DE LEITURA

(Corrige no 1o parágrafo par 18 cortes, no lugar de 18 meses, e 11,25 por cento no lugar de 18,25 por cento)

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - O Comitê de Política Monetária interrompeu nesta quarta-feira um ciclo de 18 cortes do juro e manteve, por unanimidade, a taxa básica em 11,25 por cento ao ano.

O mercado estava dividido em relação ao movimento do Copom este mês. No final, analistas viram na decisão preocupações dos diretores do Banco Central com o comportamento da atividade econômica e da inflação.

Em breve comunicado, o Copom disse ter decidido fazer uma "pausa no processo de flexibilização da política monetária" após avaliar "a conjuntura macroeconômica".

Na ata da última reunião do Copom, em setembro, quando os diretores reduziram o ritmo de corte da Selic para 0,25 ponto, o BC já havia alertado para uma piora no cenário inflacionário e anunciado que cogitara, já na ocasião, uma pausa para os cortes.

"A cautela do Banco Central se deve à maior incerteza com relação ao cenário de inflação de médio prazo", afirmou o economista-chefe do WestLB Bank Brasil, Roberto Padovani. "O custo da decisão em termos de crescimento econômico é baixo e permite ao BC aguardar mais informações para avaliar os riscos inflacionários."

Desde setembro de 2005, os juros foram reduzidos em 8,5 pontos básicos de um patamar de 19,75 por cento.

Pesquisa da Reuters na última semana mostrava que 14 instituições consultadas esperavam redução de 0,25 ponto percentual e 13 estimavam manutenção do juro em outubro.

PRÓXIMOS CORTES

Analistas também não tinham avaliação unânime nesta quarta-feira sobre as próximas atuações do BC.

Para Octavio de Barros, diretor de Operações do Bradesco, "dependendo das notícias de inflação corrente", os cortes podem ser retomados em janeiro ou fevereiro. "Ainda estamos avaliando as possibilidades", disse o economista.

Mas para Alexandre Mathias, diretor de Operações do Unibanco Asset Management, a "pausa" do BC deve ser mais longa e os cortes só devem ser retomados "entre o final de 2008 e o início de 2009".

Representantes do setor produtivo lamentaram a decisão do BC, como seria de se esperar.

Em nota, a Confederação Nacional da Indústria afirmou ter recebido a notícia "com pesar" e destacou os danos que os juros altos, aliados ao câmbio valorizado e carga tributária elevada, causam ao setor.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below