ArcelorMittal prevê US$4 bi em cortes de custos em 5 anos

quarta-feira, 17 de setembro de 2008 09:15 BRT
 

BRUXELAS, 17 de setembro (Reuters) - A ArcelorMittal (ISPA.AS: Cotações), maior grupo siderúrgico do mundo, revelou um plano para cortar 4 bilhões de dólares em custos em cinco anos, focando em produtividade, redução de consumo de energia e diminuindo custos com insumos.

"Desde nossa fusão, melhoramos nossa estrutura de custos por conta da integração bem sucedida, nosso plano de valor em 2008 e da obtenção de sinergias", disse o vice-presidente financeiro da ArcelorMittal, Aditya Mittal, em comunicado que precedeu reunião da companhia com investidores.

"Para melhorarmos ainda mais nossa estrutura de cutsos, temos agora um novo plano de ganhos administrativos de 4 bilhões de dólares a ser realizado ao longo dos próximos cinco anos", afirmou o executivo.

Em apresentação aos investidores, disponível no site da companhia, a ArcelorMittal informa que tem como meta reduções de custos de 30 dólares por tonelada por meio de uma série de investimentos e iniciativas em suas usinas e escritórios ao redor do mundo.

A empresa ainda divulgou que apesar da redução do ritmo da economia mundial, o mercado global de aço deve crescer entre 3 e 5 por cento ao ano entre 2007 e 2012. O mercado chinês deve apresentar alta entre 5 e 8 por cento por ano.

A companhia, formada em 2006 com a junção da Arcelor com a Mittal, informou que a indústria está operando perto de sua capacidade total e que a oferta mundial de aço está "restrita". O mercado siderúrgico deve continuar, segundo a empresa, apertado.

O preço do aço deve continuar acima dos 1.000 dólares a tonelada nos próximos anos por causa dos custos maiores com matérias-primas e equipamentos. No curto prazo, os preços devem se manter estáveis com cortes de produção por parte dos produtores.

"Enfrentando fraqueza temporária do mercado, aumento de custos de matérias-primas, médias e pequenas siderúrgicas chinesas estão acelerando cortes de produção", informou a ArcelorMittal.

O grupo siderúrgico informou que está comprometido com a meta de aumentar o volume de produção em mais de 20 milhões de toneladas para 130 milhões entre 2007 e 2013.

A empresa ainda confirmou objetivo de produção de minério de ferro de 110 milhões de toneladas em 2012, com nova expansão sob estudo para elevar a autosuficiência do grupo para 75 a 85 por cento por volta de 2014 ou 2015.

(Por Philip Blenkinsop)