Lobão descarta mudar tratado de energia de Itaipu

quinta-feira, 17 de abril de 2008 17:37 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 17 de abril (Reuters) - O governo brasileiro não pretende alterar o tratado de energia firmado com o governo paraguaio sobre a usina hidrelétrica de Itaipu, afirmou o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, nesta quinta-feira.

Objeto de campanha política dos candidatos à eleição presidencial no Paraguai, que será realizada neste domingo, o tratado de Itaipu foi assinado em 1973 e consistiu na construção da usina na fronteira entre os dois países para compartilhamento da energia gerada.

A usina tem capacidade instalada de 14 mil megawatts, que são repartidos igualmente entre os dois países, mas como o consumo do Paraguai é baixo o Brasil compra a energia que sobra, ficando com cerca de 90 por cento da energia gerada por Itaipu.

O Paraguai questiona o preço pago por essa energia e os candidados defendem elevar o valor.

"O contrato com Itaipu não comporta negociação e está produzindo ótimos resultados", afirmou Lobão nesta quinta-feira a jornalistas após visita à sede da Petrobras, no Rio de Janeiro.

Ele disse, no entanto, ter conhecimento que a campanha política do país vizinho está sendo feita em cima dessa questão, mas que não há motivo para alterar as regras.

(Reportagem de Denise Luna; Edição de Marcelo Teixeira)