Ciclone deixa cerca de 1.000 mortos em Bangladesh

sábado, 17 de novembro de 2007 10:31 BRST
 

Por Anis Ahmed

DACA (Reuters) - Navios e helicópteros militares de Bangladesh tentavam chegar neste sábado a milhares de sobreviventes de um superciclone que matou pelo menos 900 pessoas ao atingir o empobrecido país com ventos e ondas violentos.

O ciclone Sidr devastou a costa sul de Bangladesh na noite de quinta-feira com ventos de até 250 quilômetros por hora que ajudaram a elevar o nível do mar em até 5 metros. Foi o maior ciclone desde o que ocorreu em 1991, que matou cerca de 143 mil pessoas no país.

Navios da marinha percorrem a costa em busca de centenas de pessoas dadas como desaparecidas e para limpar canais de rios entupidos com embarcações afundadas para restaurar a normalidade na navegação, afirmaram autoridades do governo.

Helicópteros percorreram áreas devastadas entregando alimentos, água potável e remédios para os sobreviventes.

A contagem oficial de mortos chega a mais de 900, mas alguns jornais neste sábado publicaram números entre 1.100 e 2 mil, citando relatos de jornalistas que estão em áreas devastadas.

"Vai levar vários dias para completarmos as buscas para sabermos o número correto de vítimas e a extensão dos danos", informou o ministério de alimentos e desastres.

A Marinha dos Estados Unidos está ajudando nos trabalhos de resgate e assistência às vítimas.

Autoridades de grupos de resgate descreveram os danos causados pelo ciclone, que derrubou casas e arrancou árvores e postes, como extremamente graves. A maior parte do país ficou sem energia na sexta-feira, depois que a rede elétrica caiu. Partes da cidade de Daca, capital do país e onde vivem cerca de 10 milhões de pessoas, ainda estavam sem energia neste sábado.   Continuação...

 
<p>Pessoas se juntam ao redor de &aacute;rvore derrubada, em Daca. Navios e helic&oacute;pteros militares de Bangladesh tentavam chegar neste s&aacute;bado a milhares de sobreviventes de um superciclone que matou pelo menos 900 pessoas ao atingir o empobrecido pa&iacute;s com ventos e ondas violentos. Photo by Rafiqur Rahman</p>