Petrobras negocia planta de GNL com Uruguai e Argentina

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007 19:29 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras negocia com os governos do Uruguai e da Argentina a construção de uma planta de GNL no Cone Sul para abastecer os dois mercados, afirmou o gerente-geral da área internacional da estatal, Flávio Lianna.

A estatal pretende inaugurar no ano que vem e em 2009 duas usinas de gás natural liquefeito no Brasil. A primeira será instalada na Baía de Guanabara e terá uma capacidade de cerca de 14 milhões de metros cúbicos ao dia, e a segunda unidade ficará no porto de Pecém, no Ceará, e produzirá 6 milhões de metros cúbicos a partir de 2009.

A nova planta de GNL, que seria construída na Argentina ou no Uruguai, produziria 10 milhões de metros cúbicos para atender os dois mercados.

"O projeto ainda não está decidido. Argentina e Uruguai estão trabalhando conjuntamente e fazendo um tratado binacional," disse Lianna a jornalistas.

O GNL produzido pela planta do Cone Sul atenderia aos mercados dos dois países principalmente no inverno, e as unidades poderiam ter uma integração com as usinas brasileiras.

O Executivo prevê uma "escassez de gás" na América do Sul nos próximos anos, devido à falta de investimentos em novos campos exploratórios e o GNL virá para preencher essa lacuna.

"O GNL é a solução, ele vai trazer uma solução de preços, vai entrar com um preço competitivo e vai balizar o mercado boliviano. A crise que se instaurou vai gerar uma escassez de gás nos próximos três ou quatro anos".

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)