Índia tenta alcançar acordo nuclear controverso com EUA

sábado, 17 de novembro de 2007 11:46 BRST
 

Por Y.P. Rajesh

NOVA DÉLHI (Reuters) - O governo de coalizão da Índia lançou neste sábado uma nova campanha para obter um controverso acordo nuclear com os Estados Unidos, um dia depois que os aliados comunistas reviveram esperanças sobre um pacto ao qual eles se opunham fortemente.

Autoridades dizem que Nova Délhi vai agir imediatamente nas próximas etapas necessárias para o país fechar o acordo antes do fim do prazo e reunião com agência nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) deve começar na próxima semana.

Mas analistas alertaram que Nova Délhi pode enfrentar uma tarefa difícil pela frente, tanto localmente, quanto internacionalmente, na construção de apoio para um acordo histórico que até esta semana parecia condenado.

"Este acordo nos dará acesso a combustível e nova tecnologia", disse Sonia Gandhi, presidente do partido Congresso, governista, durante reunião plenária, a primeira em quase dois anos.

"Isso permitirá que várias nações amigas nos ajudem a ampliar nossa produção de energia, que é a maior necessidade de nossos setores agrícola e industrial e de vilas e cidades", disse ela.

O acordo para cooperação nuclear civil entre Índia e EUA tem como objetivo reverter três décadas de impedimento ao acesso de Nova Délhi a combustível atômico e equipamentos norte-americanos e tem sido considerado como símbolo de uma nova amizade estratégica dos dois países.

Aliados comunistas do governo do premiê indiano Manmohan Singh rejeitavam o acordo, afirmando que ele compromete a soberania da Índia e impõe influência de Washington, e ameaçavam retirar apoio à coalizão.

Entretanto, na sexta-feira, os comunistas flexibilizaram sua posição depois de semanas de negociações com líderes do governo e permitiram condicionalmente que um acordo seja alcançado, afirmando que permissões globais são necessárias também para o comércio nuclear com nações além dos EUA.