Cacciola chega ao Brasil e segue direto para sede da PF no Rio

quinta-feira, 17 de julho de 2008 07:01 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Depois de 10 meses preso no principado de Mônaco, o ex-banqueiro Salvatore Cacciola desembarcou na madrugada desta quinta-feira no Brasil, seguindo direto para a sede da Polícia Federal, sem passar pelo saguão do aeroporto internacional do Rio.

Um carro da PF aguardava o ex-banqueiro na pista do aeroporto para levá-lo à superintendência do órgão no Rio, onde ele ficará temporariamente detido.

A estratégia evitou que Cacciola fosse abordado pelos jornalistas que faziam plantão no aeroporto internacional. Segundo o advogado do ex-banqueiro, Carlos Eli Eluf, Cacciola estava "feliz de voltar ao Brasil e confiante na Justiça brasileira".

Segundo a estudante Heloisa Helena de Almeida, que estava no mesmo vôo, o ex-banqueiro aparentava tranquilidade.

"Ele não estava algemado, estava acompanhado de alguns agentes e muito tranquilo, com cara de férias", disse a estudante.

Segundo o advogado, Cacciola foi acompanhado por oito agentes da PF e pelo procurador da República Arthur Gueiros.

O advogado disse que espera conseguir um habeas corpus para Cacciola dentro de 15 dias.

"A prisão preventiva de 81 dias já expirou e há outras pessoas no caso que estão em liberdade", disse Eluf. "Ele (Cacciola) não fugiu. Ele tinha um habeas corpus que o permitia sair do país pela fronteira", acrescentou o advogado.

Cacciola foi condenado a 13 anos de prisão pela Justiça brasileira por crimes financeiros. Foragido desde 2000, ele foi preso em Mônaco em setembro do ano passado.   Continuação...