Cacciola chega ao Brasil e nega que tenha fugido

quinta-feira, 17 de julho de 2008 08:07 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Depois de 10 meses preso no principado de Mônaco, o ex-banqueiro Salvatore Cacciola desembarcou na madrugada desta quinta-feira no Rio e negou que tenha fugido do país, onde foi condenado a mais de 10 anos de prisão por crimes financeiros.

"Nunca fui um foragido. Fui para a Itália com passaporte. Saí do Brasil com passaporte e livre", afirmou o ex-banqueiro ao chegar à sede da superintendência da Polícia Federal, para onde foi levado depois de desembarcar, por volta das 4h30, no aeroporto internacional do Rio.

Um carro da PF aguardava o ex-banqueiro na pista do aeroporto, evitando assim que Cacciola fosse abordado pelos jornalistas que faziam plantão no saguão do aeroporto.

Segundo a estudante Heloisa Helena de Almeida, que estava no mesmo vôo, o ex-banqueiro aparentava tranquilidade.

"Ele não estava algemado, estava acompanhado de alguns agentes e muito tranquilo, com cara de férias", disse.

Cacciola veio da Europa acompanhado por oito agentes da PF e pelo procurador da República Arthur Gueiros, informou o advogado do ex-banqueiro, Carlos Eli Eluf.

O advogado disse que espera conseguir um habeas corpus para seu cliente dentro de 15 dias.

"A prisão preventiva de 81 dias já expirou e há outras pessoas no caso que estão em liberdade", disse Eluf. "Ele não fugiu. Ele tinha um habeas corpus que o permitia sair do país pela fronteira", acrescentou.   Continuação...

 
<p>Salvatore Cacciola, o mais procurado criminoso do colarinho branco no Brasil, fala durante coletiva na sede da Pol&iacute;cia Federal no Rio de Janeiro. Ele acaba de ser extraditado de M&ocirc;naco. Foto de 17 de julho de 2008. Photo by Bruno Domingos</p>