China eleva tarifas buscando limitar exportação de fertilizantes

quinta-feira, 17 de abril de 2008 14:15 BRT
 

Por Lucy Hornby

PEQUIM, 17 de abril (Reuters) - A China aplicou tarifas pesadas sobre as exportações de fertilizantes na quinta-feira, numa tentativa de controlar a inflação e os custos agrícolas em ascensão no país, além de garantir o cultivo de uma quantidade suficiente de grãos para alimentar uma população de 1,3 bilhão de pessoas.

As taxas sobre as exportações de fertilizantes terão um incremento de 100 pontos percentuais, variando entre 100 e 135 por cento, de 20 de abril até 30 de setembro.

A imposição de tarifas deve amenizar os gastos internos, mas pode elevar os preços do insumo no mercado mundial, que depende da oferta chinesa.

O Brasil importa boa parte dos fertilizantes que utiliza na agricultura.

A decisão da China acompanha uma série de intervenções protecionistas em diversos fornecedores globais de commodities, movimentos que em vez de segurarem os preços podem acabar levando a novas altas.

A China está se empenhando para produzir milho e trigo suficientes para alimentar a população, especialmente os habitantes de áreas urbanas, e teme que os custos altos com fertilizantes, combustível e mão-de-obra desencorajem os produtores a semear grãos, consequentemente impulsionando os preços das rações utilizadas por criadores de animais, alimentando a inflação.

No primeiro trimestre, a inflação do país somou 8,3 por cento, acréscimo superior à meta do governo chinês para o ano de 2008.

(Reportagem adicional de Langi Chiang)