BOLSA EUA-Wall Street recua com temores de recessão

sexta-feira, 17 de outubro de 2008 18:12 BRT
 

(Texto atualizado com mais informações)

Por Kristina Cooke

NOVA YORK, 17 de outubro (Reuters) - Os principais índices de ações norte-americanos caíram nesta sexta-feira, com a fraqueza das ações de manufatureiros e de financeiras após dados desanimadores sobre a confiança do consumidor e sobre o setor de construção.

Mas os acumulados na semana foram positivos e o índice Dow conseguiu quebrar uma sequência desastrosa de três quedas semanais consecutivas com a melhor semana em 5 anos e meio.

O índice Dow Jones .DJI, referência da bolsa de Nova York, recuou 1,41 por cento, para 8.852 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq .IXIC caiu 0,37 por cento, para 1.711 pontos. O índice Standard & Poor's 500 .SPX teve desvalorização de 0,62 por cento, para 940 pontos.

Na semana, o Dow subiu 4,75 por cento, enquanto o S&P 500 avançou 4,6 por cento, fechando sua melhor semana desde fevereiro. O Nasdaq teve alta de 4,1 por cento na semana, o melhor resultado desde o início de agosto.

Em uma semana marcada pela extrema volatilidade, a sessão desta sexta-feira não foi diferente, com as ações oscilando fortemente. Uma forte recuperação no final da tarde foi apagada na última hora de negócios à medida que as incertezas dominaram o cenário antes do fim de semana.

A Caterpillar e a United Technologies derrubaram o Dow, após um relatório monstrando que as contruções de novas moradias recuaram para o menor patamar em 17 anos e meio aumentos os temores de recessões. A Honeywell International (HON.N: Cotações) cortou a sua previsão de lucro para o quatro trimestre e afirmou que está se preparando para "condições de recessão" nos Estados Unidos e na Europa no próximo ano.

Varejistas como a Wal-Mart (WMT.N: Cotações) caíram depois de um relatório sobre a confiança do consumidor da Reuters e da Universidade de Michigan mostrar a pior queda mensal já registrada em outubro.

Uma alta nas ações energéticas perdeu fôlego no final do dia com os preços do petróleo fechando bem abaixo das máximas da sessão.