IGP-10 tem maior alta desde 2004, mas deve desacelerar

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007 15:47 BRST
 

Por Vanessa Stelzer

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - Uma alta de dois dígitos nos custos do setor agrícola levou o Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) a registrar neste ano a maior variação desde 2004, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta segunda-feira.

A variação do IGP-10 em 2007 vai "inflar" os demais IGPs esse ano para um patamar superior a 7 por cento, mas segundo a FGV a taxa deve recuar em 2008 a partir da perspectiva de desaceleração da economia mundial e de uma maior produção de alimentos para atender a expansão da demanda internacional.

Os preços dos alimentos agrícolas subiram mais do que o anteriormente estimado neste ano, em razão de problemas de oferta interna e externa, maior demanda internacional e elevadas cotações de commodities.

"O resultado do IGP-10 abre espaço para um novo patamar para os outros índices. Tudo indica que eles vão subir mais de 7 por cento", disse o economista da FGV, Salomão Quadros. "Sempre após um ano de preços agrícolas mais altos, no ano seguinte os preços ficam mais baixos porque há uma resposta da produção agrícola. No ano que vem a economia vai crescer menos, por causa dos EUA, mas China e Índia estão um pouco à margem desse movimento e vão continuar a consumir muito."

Ele aponta ainda o dólar baixo como um outro fator inibidor da inflação calculada pelos IGPs no ano que vem. "Uma fatia grande dos custos industriais está adormercida pelo câmbio. Não se pode falar em repasse de custo industrial em 2008. Esse pode ser mais um fator amortecedor da inflação em 2008", destacou Quadros.

O IGP-10 subiu 7,38 por cento em 2007, contra alta de 4,05 por cento apurada no ano passado. Foi a maior alta desde 2004, quando o IGP-10 avançou 12,4 por cento.

"Em relação às expectativas feitas no início do ano, o número ficou acima, mas todo mundo foi adaptando as estimativas ao longo do ano, por conta da pressão forte no atacado, então não ficou tão longe, apesar de dezembro ter surpreendido um pouco para cima", disse Silvio Campos Neto, economista-chefe do Banco Schahin.

Entre os componentes, o Índice de Preços por Atacado (IPA) avançou 8,61 por cento no ano, ante 4,75 por cento em 2006.   Continuação...