Preocupação com bancos derruba mercados da Ásia

segunda-feira, 17 de março de 2008 08:13 BRT
 

Por Rafael Nam

HONG KONG (Reuters) - Os mercados asiáticos despencaram nesta segunda-feira para seus piores níveis desde agosto de 2007 e o dólar recuou após a venda com desconto do banco norte-americano Bear Stearns e de anúncio do Fed de corte na taxa de redesconto. Os anúncios deste domingo acabaram criando temores sobre qual será a próxima vítima da crise global de crédito.

Às 8h10, o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico exceto Japão despencava 3,88 por cento, para 424 pontos, atingindo seu pior nível durante a sessão desde 20 de agosto. Com isso, o índice acumula queda de 20 por cento este ano.

"Estou certo de que veremos ainda mais uma ou duas vítimas", afirmou Angus Gluskie, gerente de portfólio da White Funds Management, em Sydney. "Isso mostra que os bancos no fim tinham muita exposição em áreas difíceis, que voltaram a atormentar os investidores."

Numa medida inesperada antes das aberturas das bolsas asiáticas, o Federal Reserve diminuiu a taxa de redesconto que cobra de empréstimos diretos para bancos e implementou passos para oferecer dinheiro para um leque de instituições financeiras, usando ferramentas experimentadas pela última vez na Grande Depressão.

Minutos antes do anúncio do Fed, o JPMorgan afirmou que irá comprar o Bear Stearns por um preço de 2 dólares por ação, o que avalia o banco em 236 milhões de dólares. Ações de instituições financeiras asiáticas foram afetadas pelos anúncios norte-americanos, incluindo o Mitsubishi UFJ Financial Group e o maior financiador da Coréia do Sul, o Kookmin Bank.

As ondas de choque na Ásia fizeram líderes de governos dizerem que estão monitorando os desdobramentos da crise no setor financeiro.

"Estamos apenas nos estágios iniciais de uma crise. É totalmente impossível prever a economia mundial. Eu creio que, talvez, a crise econômica mundial está apenas começando", disse o presidente da Coréia do Sul, Lee Myung-bak.

O índice da bolsa de TÓQUIO recuou 3,7 por cento, depois de bater no pior patamar durante a sessão desde agosto de 2005, com empresas exportadoras como a Toyota recuando junto com o dólar.   Continuação...