BOLSA EUROPA-Índice cai mais de 3% após venda do Bear Stearns

segunda-feira, 17 de março de 2008 09:13 BRT
 

Por Sitaraman Shankar

LONDRES, 17 de março (Reuters) - Os mercados europeus operavam em queda nesta segunda-feira, pressionados pela venda do Bear Stearns BSC.N ao JP Morgan, que desencadeou um movimento de baixa nas ações do setor financeiro. Investidores temem que a crise de crédito provoque mais vítimas entre bancos.

O euro bateu novo recorde de alta frente ao dólar e o petróleo tinha novas altas históricas no preço por barril.

Às 9h07 (horário de Brasília), o índice FTSEurofirst 300 .FTEU3, que engloba as principais empresas européias, tinha queda de 3,62 por cento, a 1.209 pontos, na esteira das perdas na Ásia e Estados Unidos depois que o JP Morgan (JPM.N: Cotações) anunciou a compra do rival Bear Stearns com grande desconto em relação ao fechamento da ação do banco na sexta-feira.

Os bancos exibiam o pior desempenho do FTSEurofirst 300, com o UBS UBSN.VX despencando quase 13 por cento, Royal Bank of Scotland (RBS.L: Cotações) caindo 7,5 e Barclays (BARC.L: Cotações) se desvalorizando em 7,56 por cento.

"Há um tumulto em todos os mercados depois do Bear Stearns, e o mercado acionário não é um bom lugar para se estar agora", afirmou o estrategista Edmund Shing, do BNP Paribas. "Todos estão se perguntando: quem será o próximo? Há algum Bear Stearns na Europa, bancos de investimento podem começar a falir?".

"Está claro que o Bear era de longe o mais exposto aos títulos vinculados a hipotecas de alto risco", disse Shing, acrescentando que há incertezas sobre a extensão das perdas dos bancos europeus.

No domingo, o Federal Reserve cortou a taxa de redesconto em 0,25 ponto, para 3,25 por cento, e lançou um novo instrumento que permitirá aos negociadores primários dos Estados Unidos, principalmente bancos de investimento, a tirar proveito da janela de desconto numa ferramenta não usada desde a Grande Depressão.

"O Fed precisa manter a taxa de juros em queda mesmo com as condições do mercado frustando seus esforços para melhorar as condições monetárias", afirmou Mike Lenhoff, estrategista-chefe na Brewin Dolphin, em relatório.   Continuação...