Japão e Peru deixam para trás discórdia sobre Fujimori

segunda-feira, 17 de março de 2008 10:00 BRT
 

TÓQUIO (Reuters) - As relações entre Japão e Peru alcançaram o melhor nível em nove anos nesta segunda-feira, depois que ambos os países começaram a descongelar uma relação esfriada após a ida do ex-presidente peruano Alberto Fujimori ao Japão.

Tóquio ofereceu ajuda e empréstimos a Lima para marcar o encontro entre o primeiro-ministro do Japão, Yasuo Fukuda, e o presidente peruano, Alan Garcia, informou o ministério das Relações Exteriores japonês em comunicado.

"Estou confiante que as nossas relações com o Japão, que esfriaram no passado, vão melhorar", disse Garcia a repórteres em uma coletiva de imprensa conjunta, feita depois do encontro. Ele acrescentou que os dois países vão cooperar quanto à mudança climática e outras questões globais.

O Japão e o Peru se desentenderam por causa de Fujimori, que fugiu para o Japão em 2000, pressionado por um escândalo de corrupção. Ele ficou em Tóquio por cinco anos, apesar dos frequentes pedidos de Lima para que fosse extraditado e julgado por uma série de acusações relacionadas a seus 10 anos de governo, entre elas assassinato e sequestro.

Fujimori é respeitado no Japão por ter sido o primeiro japonês étnico a se tornar líder de outro país. O Japão se recusou a entregá-lo e concedeu a ele a cidadania japonesa, numa aparente contradição às suas próprias regras.

Fujimori acabou sendo extraditado para o Peru em 2005, depois de voar para o Chile. Ele foi sentenciado a seis anos de prisão em dezembro, por ordenar a um assessor o roubo de documentos da casa de seu chefe de espionagem. O julgamento por assassinato continua.

Uma autoridade japonesa disse que Fujimori não seria um assunto importante da pauta da visita a Garcia, segundo a agência de notícias Kyodo.

O Japão e o Peru assinaram um acordo de 785 milhões de ienes em ajuda e 22,1 bilhões de ienes em empréstimos, disse o ministro das Relações Exteriores em comunicado.

O ministro das Relações Exteriores peruano, José Garcia Belaunde, disse a seu companheiro Masahiko Komura que Lima espera selar um tratado de livre comércio com Tóquio, mas Komura disse que este assunto deverá ser pensado futuramente.   Continuação...