CÂMBIO-Dólar acompanha crise nos EUA e opera em alta

segunda-feira, 17 de março de 2008 11:08 BRT
 

SÃO PAULO, 17 de março (Reuters) - O dólar operava em alta pelo terceiro dia seguido nesta segunda-feira, acompanhando de perto os desdobramentos da crise global de crédito em meio ao forte aumento da aversão ao risco.

Às 11h05, a moeda norte-americana BRBY subia 0,58 por cento, para 1,723 real. Na sexta-feira, o dólar havia fechado em alta de 1,24 por cento.

As bolsas de valores de todo o mundo despencavam em meio à crise de confiança entre os bancos. Na sexta-feira, o Bear Stearns BSC.N --quinto maior banco de investimento dos Estados Unidos-- precisou ser socorrido pelo Federal Reserve e foi vendido a preço de liquidação para o JPMorgan (JPM.N: Cotações).

Em meio à turbulência, o risco Brasil subia 8 pontos-básicos, para perto de 300 pontos, e a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) .BVSP despencava 3 por cento.

A crise provocou uma virada nas expectativas dos agentes no mercado futuro de câmbio.

Os estrangeiros, que começaram o mês com mais de 6 bilhões de dólares em posições vendidas em dólar, encerraram a sexta-feira com quase 4 bilhões de dólares em posições compradas na moeda norte-americana.

Os bancos, que atuam como contraparte, começaram o mês com mais de 12 bilhões de dólares em posições compradas em dólares. No final da semana passada, eles apresentavam cerca de 1 bilhão de dólares em posição vendida, segundo a Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F).

A posição vendida em dólar representa uma aposta na queda da moeda norte-americana.

Esta segunda-feira é também o primeiro dia de vigência das novas regras cambiais anunciadas pelo governo na semana passada. As novidades, entre as quais o fim da cobertura cambial e a cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) nas operações de câmbio de estrangeiros que investem em renda fixa, não devem ter efeito prático, na avaliação de Francisco Gimenez Neto, economista da NGO Corretora.

(Por Silvio Cascione; Edição de Alexandre Caverni)