China atrasa compras spot de minério de ferro da Austrália

segunda-feira, 17 de março de 2008 14:02 BRT
 

XANGAI, 17 de março (Reuters) - A China atrasou a emissão de licenças necessárias para importação no mercado spot de minério de ferro da Austrália, elevando a temperatura na disputa com as mineradoras envolvendo os preços do minério, de acordo com fontes do mercado chinês na segunda-feira.

O atraso parece ser uma resposta à declaração da Rio Tinto sobre uma redução de 10 por cento no volume de minério de ferro entregue aos clientes que operam com preços pré-definidos -- medida prevista no contrato -- de forma a aumentar as vendas no mercado spot, ou disponível, onde os preços podem ser até duas vezes mais altos.

As fontes não disseram quantos carregamentos de minério de ferro seriam afetados.

As mineradoras Rio Tinto (RIO.L: Cotações)(RIO.AX: Cotações) e BHP Billiton (BLT.L: Cotações)(BHP.AX: Cotações) ainda estão negociando com as siderúrgicas sobre os preços contratados do minério de ferro para 2008. Elas tentam conseguir aumento maior que o de 65 por cento fechado pela brasileira Vale (VALE5.SA: Cotações).

"A autoridade alfandegária não disse que não emitirá as licenças para os bens. Elas (licenças) foram apenas atrasadas", afirmou uma fonte familiar à situação.

"Isto significa apenas que estes minérios não serão aprovados pela autoridade alfandegária no momento", informou a fonte.

Para evitar que tradings e siderúrgicas importem muitos carregamentos no mercado de pronta-entrega, aumentando os preços, as autoridades chinesas conferem os contratos antes de autorizarem os carregamentos para a importação e exportação aos usuários finais.

Autoridades do Baosteel Group, maior importador de minério de ferro na China, não quiseram comentar sobre o motivo pelos quais as importações de minério de ferro no mercado spot estavam sendo atrasadas. Na semana passada, o presidente do Baosteel, Xu Lejiang, disse aos repórteres que as mineradoras australianas já estavam reduzindo o volume entregue, seguindo termos contratuais.

O presidente do Handan Iron and Steel Group, Liu Rujun, no entanto, afirmou na semana passada que as reduções entrariam em vigor a partir de 1o de abril.   Continuação...