ATUALIZA-SP terá oferta maior de gás, mas acordo permite cortes

terça-feira, 18 de dezembro de 2007 15:57 BRST
 

(Texto atualizado com mais informações)

Por Roberto Samora

SÃO PAULO, 18 de dezembro (Reuters) - A Comgás (CGAS5.SA: Cotações), maior distribuidora de gás natural do Brasil, e a Petrobras (PETR4.SA: Cotações) anunciaram nesta terça-feira novos contratos para a comercialização do combustível, que englobam aumento do volume total para São Paulo em até 3 milhões de metros cúbicos, mas também a possibilidade de interrupções no fornecimento.

Antes, a Comgás tinha contratos para comprar 11,75 milhões de metros cúbicos diários da Petrobras, entre o volume produzido no Brasil e na Bolívia. Agora, a companhia paulista terá a opção de comprar até 14,75 milhões de metros cúbicos.

Com os novos contratos, válidos a partir de 2008, também fica formalizada a negociação de um volume de gás que era fornecido fora de bases contratuais, mas que sofria cortes no caso de necessidade de despacho do combustível para termelétricas, como ocorreu em outubro, em função do baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas.

"O que muda é que regulariza a situação de contratação. A Comgás investiu muito dinheiro para acompanhar o crescimento de São Paulo... e isso levou a uma ampliação do volume contratado... Isso dá mais segurança quanto às condições de entrega da Petrobras", disse o presidente da Comgás, Luis Domenech, a jornalistas.

Antes dos novos contratos, a Comgás contava, além do volume contratual de 11,75 milhões de metros com a Petrobras, 650 mil metros cúbicos provenientes de acordo separado com a Bolívia feito pela BG Group, o que resultava em oferta de 12,35 milhões de metros cúbicos.

Para completar a demanda de até 14 milhões de metros cúbicos da Comgás, a Petrobras vendia o gás fora de contrato.   Continuação...