CÂMBIO-Dólar recua com Selic estável, mas piora externa pesa

quinta-feira, 18 de outubro de 2007 10:17 BRST
 

SÃO PAULO, 18 de outubro (Reuters) - A decisão do Banco Central de manter inalterada a taxa básica de juro fazia o dólar operar em queda nesta quinta-feira, mas o mau humor nos mercados estrangeiros diminuía a extensão dos ajustes.

Às 10h17, a moeda norte-americana BRBY caía 0,27 por cento, para 1,818 real. Na véspera, antes do anúncio do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, o dólar teve alta de 0,44 por cento.

A manutenção da taxa básica de juro em 11,25 por cento ao ano, junto com a perspectiva de novas quedas do juro norte-americano, favorece as operações de arbitragem. Nesse tipo de operação, os investidores trazem dólares para o Brasil em busca do rendimento mais alto pago pelos ativos nacionais.

Isso aumenta a expectativa de fluxo cambial positivo, o que reforça a aposta na queda do dólar no país e já, o que já se reflete na taxa de câmbio à vista.

O efeito, porém, era limitado, já que parte do mercado já esperava essa decisão do BC, disse Gustavo Cunha, operador de derivativos do Rabobank. Além disso, o possível corte de 0,25 ponto percentual seria de pequena magnitude, e não teria tanta força para tornar as arbitragens menos interessantes.

Após o ajuste no começo da sessão, o mercado monitorava a fraqueza no mercado externo. Francisco Carvalho, gerente de câmbio da Corretora Liquidez, disse que "durante o dia a gente vai ver se o cenário externo vai ser predominante ou não em relação à manutenção do juro pelo Copom".

A queda dos índices futuros das bolsas em Nova York era determinada pelos resultados fracos do Bank of America (BAC.N: Cotações), segundo maior banco dos Estados Unidos.