Inflação pelo IPC-S tem menor leitura desde março

segunda-feira, 18 de agosto de 2008 08:19 BRT
 

Por Vanessa Stelzer

SÃO PAULO (Reuters) - Os custos dos alimentos tiveram variação negativa e ajudaram a inflação pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) a manter sua trajetória de desaceleração ao longo do mês, atingindo o menor patamar desde março.

O indicador subiu 0,34 por cento na segunda leitura de agosto, seguindo a alta de 0,44 por cento na abertura do mês, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta segunda-feira. Foi a menor taxa desde a terceira semana de março.

Os preços do grupo Alimentação tiveram queda de 0,06 por cento, ante avanço de 0,40 por cento na leitura anterior, marcando a quinta desaceleração consecutiva. O recuo foi motivado por menores variações dos itens Hortaliças e legumes, Carnes bovinas e Arroz e feijão.

Todas as cinco maiores influências negativas para o índice vieram dos alimentos: tomate, babata-inglesa, melão, leite londa vida e beterraba.

Também contribuíram para a desaceleração do IPC-S as altas mais fracas dos grupos Saúde e cuidados pessoais e Educação, leitura e recreação.

Já os custos de Habitação, Transportes e Despesas Pessoais subiram em ritmo um pouco maior que na primeira leitura do mês.

Os preços do grupo Vestuário caíram em ritmo menor, em 0,23 por cento na segunda leitura do mês, contra baixa de 0,33 por cento anterior.

O IPC-S da segunda leitura de agosto mediu a variação dos preços entre os dias 16 de julho e 15 de agosto, comparados aos coletados entre 16 de junho e 15 de julho.   Continuação...