Dalai Lama diz que renuncia se violência ficar incontrolável

terça-feira, 18 de março de 2008 08:36 BRT
 

DHARAMSALA (Reuters) - O Dalai Lama disse na terça-feira que renunciará ao posto de líder tibetano se a situação sair do controle no Tibet. Ele também negou as acusações da China, que disse que ele incitou os ataques.

"Se as coisas ficarem fora de controle, então minha única opção é renunciar completamente", disse o Dalai Lama, líder espiritual tibetano, numa entrevista coletiva em sua base em Dharamsala, no norte da Índia.

Nesta terça-feira, o premiê da China, Wen Jiabao, acusou o Dalai Lama de orquestrar os protestos nos quais dezenas de pessoas teriam morrido e disse que os seguidores do líder espiritual estão tentando "incitar a sabotagem" aos Jogos Olímpicos de Pequim, em agosto.

O Dalai Lama, exilado na Índia desde 1959, negou as acusações da China e disse ser contra a violência, venha ela da China ou dos tibetanos.

"Mesmo se mil tibetanos sacrificassem suas vidas, não ajudaria", disse ele a repórteres. "Por favor, ajudem a parar com a violência do lado da China e também do lado do Tibet."

O Dalai Lama disse que não tem nada a esconder dos chineses.

"Investiguem a fundo, se quiserem começar a investigar aqui, sejam bem-vindos", disse ele. "Chequem nossos vários escritórios."

"Eles podem examinar meu pulso, minha urina, minha almofada, tudo", disse ele rindo, fazendo mímica enquanto falava.

O ganhador do prêmio Nobel da Paz reafirmou que quer que o Tibet tenha autonomia em relação à China, mas sem independência total.   Continuação...

 
<p>Dalai Lama diz que renuncia se viol&ecirc;ncia ficar incontrol&aacute;vel. O Dalai Lama disse que renunciar&aacute; ao posto de l&iacute;der tibetano se a situa&ccedil;&atilde;o sair do controle no Tibet. Ele tamb&eacute;m negou as acusa&ccedil;&otilde;es da China, que disse que ele incitou os ataques. 18 de mar&ccedil;o. Photo by Arko Datta</p>