BC retoma estratégia de 2002 com "empréstimo" de dólar

quinta-feira, 18 de setembro de 2008 17:11 BRT
 

Por Isabel Versiani

NOVA YORK (Reuters) - Diante da disparada do dólar no mercado brasileiro, o Banco Central decidiu realizar leilões de venda da moeda norte-americana ao mercado com compromisso de compra futura, numa estratégia semelhante à adotada em 2002 em meio à tensão dos investidores antes da eleição presidencial.

O presidente do BC, Henrique Meirelles, anunciou em Nova York que os leilões --que funcionam como um "empréstimo" de dólares ao mercado-- serão realizados com a frequência que o BC considerar necessária.

"Existe, não há dúvida, uma questão de liquidez em dólares, à medida que existe um problema de liquidez no sistema financeiro americano, que é o grande provedor de dólares. Isso se reflete, evidentemente, nas linhas interbancárias de dólar", disse Meirelles a jornalistas.

"Em função disso, o Banco Central do Brasil tomou a decisão hoje de promover leilões de venda de dólares conjugado com uma compra futura. O BC vai estar, portanto, provendo liquidez no mercado interbancário de moeda estrangeira."

Com isso, acrescentou Meirelles, o BC vai atuar para "corrigir uma distorção nos mecanismos de fornecimento de liquidez dos mercados internacionais".

O dólar chegou a subir 5,03 por cento nesta quinta-feira, cotado a 1,961 real, com a contração de crédito decorrente da crise financeira global. Logo após o anúncio de Meirelles, a moeda norte-americana perdeu um pouco da força e fechou em alta de 2,89 por cento, a 1,921 real.

CRISE SÉRIA, BRASIL MELHOR

Meirelles afirmou ainda que "já está claro para todos" que a crise é séria e ainda não foi debelada, mas reiterou a avaliação de que a situação do Brasil é mais confortável que no passado.   Continuação...