ESPECIAL-Na sombra da gigante, Schin aposta no charme artesanal

sexta-feira, 18 de julho de 2008 14:06 BRT
 

Por Renato Andrade

SÃO PAULO (Reuters) - Que tal tomar uma cerveja artesanal, produzida em uma pequena fábrica em Campos do Jordão, em um restaurante no Nordeste do país?

A Schincariol trabalha para que isso se torne realidade, com uma estratégia no mínimo arriscada: popularizar o consumo das cervejas especiais sem transformá-las em bebida comum.

Detentora da segunda posição no mercado de cervejas do Brasil, amplamente dominado pela gigante AmBev, a Schincariol comprou no último um ano e meio as principais microcervejarias do país, dedicadas à produção das chamadas cervejas especiais ou premium.

A compra da paulista Baden Baden, da carioca Devassa e da catarinense Eisenbahn garantiu ao grupo um leque amplo de cervejas, seja por tipo ou por valor. E é com esse mix que a empresa pretende aumentar a venda de cervejas especiais, fixando-se como o principal grupo nesse segmento e garantindo, por tabela, um aumento da receita.

As cervejas premium ainda respondem por uma parcela marginal do mercado de cervejas do país, que no ano passado vendeu cerca de 7 milhões de litros, de acordo com levantamento feito pela empresa de pesquisa Nielsen.

Mas o que é pequeno hoje, cerca de 2 por cento do total, é encarado como um incentivo, diante das possibilidades de crescimento sustentado por uma melhora na renda do consumidor.

"Como o mercado ainda é pequeno, tem muito a ser desenvolvido", afirmou Juliano Mendes, gerente do grupo de cervejas especiais do grupo Schincariol, em entrevista à Reuters.

Para o executivo, ex-dono da Eisenbahn, o segmento tem potencial para crescer a taxas robustas por um longo período. "Ainda vamos conseguir crescer por alguns anos, pelo menos uns cinco, a taxas acima de 50 por cento", disse.   Continuação...