Hyundai investe US$600 mi em fábrica própria no interior de SP

quinta-feira, 18 de setembro de 2008 15:01 BRT
 

SÃO PAULO, 18 de setembro (Reuters) - A montadora sul-corana Hyundai (005380.KS: Cotações) assinou acordo com o governo do Estado de São Paulo nesta quinta-feira para a construção de uma fábrica na cidade de Piracicaba que consumirá investimentos iniciais de 600 milhões de dólares e deve começar a produzir veículos pequenos no primeiro semestre de 2011.

A unidade, a sétima da Hyundai no mundo, terá capacidade na primeira fase para 100 mil veículos por ano e faz parte de estratégia da quinta maior montadora do mundo para assegurar vendas em mercados emergentes como o Brasil, em um momento em que seus principais mercados nos Estados Unidos e Europa enfrentam dificuldades.

A Hyundai planeja expandir a fábrica numa segunda etapa, "dependendo da demanda na região". Inicialmente, a unidade produzirá um "novo veículo bicombustível para satisfazer a demanda por carros pequenos no Brasil". Segundo a montadora sul-coreana, em 2007, 65 por cento das vendas de veículos no país foram de carros do segmento.

A expansão poderia ocorrer para ampliar a linha de produtos da unidade e para abrigar produção para exporação a países vizinhos.

A Hyundai, cuja marca no Brasil já é representada por uma fábrica construída em Goiás pelo empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade (grupo Caoa), começou a buscar o local da unidade a ser implementada em Piracicaba em 2006. Entre as opções, estiveram Rio de Janeiro e Minas Gerais.

"A Hyundai se decidiu por São Paulo por seu ambiente excelente para a produção de automóveis", informou a Hyundai em comunicado.

A fábrica da Hyundai é o segundo anúncio de investimento recente de montadora em São Paulo. Em julho, a japonesa Toyota (7203.T: Cotações) divulgou a construção de uma segunda fábrica de automóveis da companhia no país, que será instalada em Sorocaba com investimentos entre 600 milhões e 700 milhões de dólares.

A Hyundai Motor vendeu 36.006 veículos importados no Brasil nos primeiros oito meses deste ano, quase o triplo do volume vendido no mesmo período do ano passado.

No Brasil, a Hyundai ainda enfrenta uma cobrança de dívida pelo governo federal de cerca de 1,6 bilhão de reais, segundo informações da mídia. O governo federal acusa a empresa de ser responsável por compromissos assumidos pela Asia Motors na década de 1990. A Asia Motors acabou sendo incorporada pela também sul-coreana Kia Motors, que por sua vez foi adquirida pela Hyundai em 1998.

(Reportagem de Alberto Alerigi Jr.; Edição de Daniela Machado)