Lobão quer antecipar assinatura de concessão de Jirau

sexta-feira, 18 de julho de 2008 18:18 BRT
 

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO, 18 de julho (Reuters) - O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, pretende antecipar a assinatura da concessão da usina hidrelétrica de Jirau, no rio Madeira (RO), de dezembro para agosto ou setembro deste ano.

Segundo Lobão, o recurso impetrado na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) pelo consórcio perdedor no leilão de venda de Jirau, formado por Furnas e Odebrecht, não impedirá que a usina seja construída no tempo previsto. A Aneel julga o recurso na próxima terça-feira.

"Estamos rigorosamente dentro do prazo para a assinatura do contrato e vamos até antecipar a assinatura desse contrato. Não haverá nenhum atraso na construção de Santo Antônio e de Jirau", disse, referindo-se também à hidrelétrica de Santo Antonio, cuja concessão foi adquirida pelo consórcio liderado por Furnas e Odebrecht.

As duas usinas ficam no mesmo rio e formavam um único projeto desenvolvido por Odebrecht e Furnas em 2001. Com as mudanças na regulamentação do setor elétrico no governo Lula, o empreendimento teve que ir a leilão, ao contrário do que ocorria no governo anterior, quando bastava o investidor solicitar autorização para contruir uma usina.

O consórcio derrotado em Jirau questionou na Aneel o fato de os vencedores terem modificado o projeto, alterando em nove quilômetros a construção da usina, o que é defendido pelo consórcio Energia Sustentável do Brasil, liderado pela Suez Energy Brasil --nome também da SPE criada para fazer a obra-- como uma maneira de reduzir o custo e ter menor impacto ambiental.

Lobão disse que os dois consórcios vão chegar a uma "boa conclusão" e que deverão se entender para não atrasar a construção das usinas que juntas terão capacidade instalada de 6.450 megawatts e são fundamentais para garantir o abastecimento elétrico a partir de 2012.

SEM INTEGRAÇÃO, DIFICULDADES   Continuação...