Lula e Chávez dão apoio a Morales antes de referendo na Bolívia

sexta-feira, 18 de julho de 2008 19:20 BRT
 

Por Ana María Fabbri

RIBERALTA, Bolívia (Reuters) - Os presidentes do Brasil e da Venezuela reafirmaram na sexta-feira seu apoio político e econômico a Evo Morales, a pouco mais de três semanas do referendo revogatório a que o presidente boliviano se submeterá.

Após formalizarem créditos conjuntos de 500 milhões de dólares para estradas que unirão o altiplano à Amazônia boliviana, Luiz Inácio Lula da Silva e Hugo Chávez não economizaram elogios a Morales.

"Tenho, companheiro Morales, a convicção de que a importância de sua eleição na Bolívia talvez tenha sido muito mais significativa que a eleição de um metalúrgico para presidir o Brasil", disse Lula em seu discurso na cidade amazônica de Riberalta.

Em palavras de improviso ao término de seu discurso escrito, Lula pareceu dirigir-se à oposição direitista boliviana ao conclamar o respeito à vontade majoritária dos povos.

"Não temos o direito de errar, não precisamos aceitar provocações, precisamos governar olhando sempre para a maioria do povo, exigindo que todos respeitem as decisões democráticas", advertiu.

Lula destacou o compromisso de Morales "de buscar desenvolvimento econômico e social para o povo boliviano e sua vontade de promover a efetiva inclusão de setores historicamente excluídos", e fez votos para que a Bolívia resolva em democracia e paz os seus problemas políticos.

Chávez, por sua vez, foi mais incisivo e acusou os grupos que se opõem a Morales de buscar a "desintegração" da Bolívia e de tentar derrubá-lo, como fizeram com ele há cinco anos na Venezuela.

"Mas aqui está Evo demonstrando que seu compromisso com o povo da Bolívia, com a união e liberação da Bolívia é vital", disse o presidente venezuelano, que compartilha com Morales um forte discurso antiimperialista.   Continuação...