Ajuda com liquidez não evita queda de bolsas européias

quinta-feira, 18 de setembro de 2008 13:32 BRT
 

PARIS (Reuters) - Os mercados acionários europeus amargaram mais um dia de queda nesta quinta-feira, depois de uma sessão de forte volatilidade. A ação coordenada de bancos centrais para aumentar a liquidez não foi suficiente para interromper a venda de ações.

O Índice FTEurofirst 300, que acompanha as principais ações do continente, encerrou o pregão em queda de 0,61 por cento, a 1.063 pontos. Foi a quarta queda consecutiva.

O índice já perdeu cerca de 9 por cento nesta semana, e caminha para a pior semana desde os ataques de 11 de setembro de 2001. O declínio segue o colapso do banco Lehman Brothers, a aquisição da Merrill Lynch e o resgate da AIG . "Há muitas questões pendentes no setor financeiro, e provavelmente muitas surpresas negativas estão por vir", disse Jean-Claude Petit, chefe da área de ações do Barclays Wealth Managers France.

"Esta crise constitui um ponto de virada no modelo de negócios dos bancos e como Wall Street funciona. A consolidação entre os bancos é inevitável."

As ações de bancos, que subiram no começo da sessão, terminaram o dia sem tendência comum. Barclays teve queda de 5,3 por cento, Royal Bank of Scotland caiu 4,5 por cento, enquanto BNP Paribas subiu 3 por cento e o Credit Suisse ganhou 2,8 por cento.

As ações do HBOS tiveram alta de 26 por cento depois de o Lloyds dizer que irá adquirir o problemático concessor de empréstimos da Grã-Bretanha em um negócio de 22 bilhões de dólares. As ações do Lloyds caíram 18 por cento.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em queda de 0,66 por cento, a 4.880 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX teve variação positiva de 0,04 por cento, a 5.863 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 caiu 1,06 por cento, para 3.957 pontos.   Continuação...