PANORAMA2-Copom ofusca mercado externo e derruba dólar

quinta-feira, 18 de outubro de 2007 18:39 BRST
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 18 de outubro (Reuters) - A decisão do Banco Central de interromper a flexibilização monetária derrubou o dólar e provocou ajustes no mercado de juros futuros no Brasil nesta quinta-feira.

No final da tarde de quarta, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC decidiu por unanimidade manter a taxa Selic em 11,25 por cento ao ano, depois de 18 reduções consecutivas.

Após a decisão, o mercado de câmbio ignorou tanto a fraqueza nas bolsas quanto o leilão de compra realizado pelo próprio BC, e o dólar caiu quase 2 por cento para fechar abaixo de 1,80 real pela primeira vez desde 2000.

A relação entre juros e câmbio é direta. Quanto maior a diferença entre as taxas cobradas no Brasil e no exterior, maior o interesse do estrangeiro em aplicar no país. Por isso, "no médio e longo prazo a tendência do dólar é de queda", disse Jorge Knauer, gerente de câmbio do Banco Prosper.

O mercado de juros futuros também se ajustou ao anúncio do BC. As projeções negociadas na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) fecharam em alta, com volume de negócios maior.

O pregão na BM&F também foi influenciado pelo indicador de vendas no varejo no país. Os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostraram vigor do comércio --alta de 0,7 por cento em agosto, oitavo mês seguido de alta.

A repercussão do Copom deixou o cenário externo em segundo plano, com efeitos mais perceptíveis sobre a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Durante a maior parte do dia, as ações no Brasil e em Nova York operaram em queda, influenciadas pelo resultado trimestral ruim do Bank of America (BAC.N: Cotações) --segundo maior banco dos Estados Unidos.   Continuação...