Varejo caminha para Natal robusto e confirma atenção do BC

quinta-feira, 18 de outubro de 2007 17:23 BRST
 

Por Renato Andrade e Vanessa Stelzer

SÃO PAULO (Reuters) - O comércio brasileiro vai muito bem, obrigado. Às vésperas do Natal, o clima é de otimismo no setor --o que é uma boa notícia para o crescimento econômico deste ano, mas está por trás da decisão do Banco Central de interromper os cortes do juro, segundo analistas.

As vendas no varejo completaram em agosto oito meses de expansão, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

O aumento foi de 0,7 por cento sobre julho e de 9,9 por cento em relação a igual mês do ano passado. Ambos os números superaram as previsões de analistas ouvidos pela Reuters.

"Quando você observa a evolução do crédito, você vê que está crescendo muito, a taxas de dois dígitos. Isso tem feito com que o consumidor ganhe um poder de compra maior", citou João Carlos Gomes, economista da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ).

"Essa evolução forte mostra que a evolução do comércio tende a permanecer crescente."

Dados sobre compras a prazo indicam que o ânimo do setor se sustentou também em setembro. A Telecheque, empresa de concessão de crédito no varejo, informou nesta quinta-feira aumento de 4,1 por cento nas transações pré-datadas sobre igual mês de 2006.

Um dos motivos para prever que o crédito continuará em expansão é o patamar considerado confortável da inadimplência, segundo Gomes. "O Natal deste ano vai ser bem melhor que o do ano passado. Não temos números agora, mas será superior... A demanda vai continuar em trajetória ascendente."

Segundo a Serasa, a inadimplência dos consumidores recuou 0,8 por cento no período de janeiro a setembro em comparação com o ano passado.   Continuação...