CÂMBIO-Dólar segue cautela no exterior e opera em alta ante real

quarta-feira, 18 de junho de 2008 10:35 BRT
 

SÃO PAULO, 18 de junho (Reuters) - O dólar operava em alta nesta quarta-feira, acompanhando a fraqueza das bolsas de valores após a decepção com resultados corporativos e espelhando a ligeira recuperação da moeda no mercado global.

Às 10h35, o dólar BRBY era cotado a 1,614 real, com alta de 0,31 por cento. Na véspera, a entrada de recursos no país e a queda generalizada da divisa colocaram a moeda a 1,609 real, menor valor de fechamento desde janeiro de 1999.

"Isso (alta do dólar nesta sessão) é mais em virtude dos acontecimentos no cenário externo", resumiu Gerson de Nobrega, gerente da tesouraria do Banco Alfa de Investimento.

"O euro está se desvalorizando frente ao dólar, e as bolsas, tanto na Europa quanto na abertura em Nova York, estão negativas", disse. Em relação a um índice com as principais moedas, o dólar .DXY tinha alta de 0,19 por cento.

A fraqueza das bolsas de valores era explicada pela decepção com os resultados da FedEx (FDX.N: Cotações), que teve prejuízo no trimestre e fez uma projeção ruim para os próximos meses.

O mau humor também era provocado pelo desempenho ruim do setor financeiro. O banco de investimento Morgan Stanley (MS.N: Cotações), mesmo com resultado um pouco melhor do que o esperado, teve uma queda abrupta do lucro no segundo trimestre.

O mercado de câmbio aguarda a divulgação, a partir das 12h30, do fluxo de câmbio da primeira metade de junho. A previsão de analistas do BNP Paribas, de acordo relatório, é de entrada líquida de 1,6 bilhão de dólares.

Para os analistas do banco francês, o dólar deve romper o nível de 1,60 real em breve. "Fatores técnicos e de fundamentos vão fazer o câmbio furar o patamar de 1,60 real", disseram, citando entre esses fatores a alta do juro no Brasil, o aumento dos preços das commodities e a diminuição das compras de dólares pelo Banco Central no mercado.

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Renato Andrade)