BOVESPA-Após abertura negativa de Wall St, índice amplia perdas

quarta-feira, 18 de junho de 2008 12:06 BRT
 

SÃO PAULO, 18 de junho (Reuters) - A Bolsa de Valores de São Paulo ampliava as perdas nesta quarta-feira, após a abertura negativa de Wall Street, reagindo a notícias corporativas desanimadoras.

Às 12h05, o Ibovespa .BVSP, principal índice da bolsa paulista, exibia queda de 1,36 por cento, aos 67.504 pontos. O giro financeiro era de 1,8 bilhão de reais.

Segundo operadores, o mercado doméstico não resistia à pressão criada pela segunda sessão seguida de perdas das bolsas norte-americanas. Na terça-feira, o Ibovespa subiu 1,7 por cento, enquanto o Dow Jones .DJI, da Bolsa de Nova York, recuou 0,89 por cento.

"O noticiário doméstico até é positivo, mas não há muito jeito de descolar de Nova York", disse Júnior Hydalgo, operadora da corretora Cruzeiro do Sul.

Em meio a queda de 60 por cento no lucro do Morgan Stanley no segundo trimeste ante igual periodo de 2007 e prejuízo da empresa de remessa de encomendas FedEx, o Dow Jones caía para perto de 12 mil pontos.

O movimento convidava uma realização de lucros com algumas das ações que mais subiram na terça-feira, com destaque para o setor bancário, que tinha na liderança as ações preferenciais do Itaú ITAU4.SA, caindo 2,95 por cento, a 36,15 reais.

O brilho do setor siderúrgico na véspera era também apagado nesta quarta-feira. As ações ordinárias da Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3.SA: Cotações) caíam 2,34 por cento, a 72,90 reais.

Nem a Vale, cujos ADRs foram alvo de elevação de preço-alvo por parte do banco UBS, resistia ao movimento. As ações preferenciais da mineradora (VALE5.SA: Cotações) caíam 0,23 por cento, a 48,39 reais.

De acordo com Hidalgo, o vencimento dos contratos de opções sobre índice futuro, que ocorre nesta quarta-feira na BM&F, é um ingrediente adicional de volatilidade do pregão.

(Reportagem de Aluísio Alves; Edição de Cláudia Pires)

(aluisio.pereira@reuters.com; 5511 56447712; Reuters Messaging: aluisio.pereira.reuters.com@reuters.net))