Bovespa sobe pela segunda semana e namora 65 mil pontos

sexta-feira, 18 de abril de 2008 17:58 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Novos números animadores de grandes corporações globais reacenderam a esperança de luz no final do túnel da crise de crédito nos Estados Unidos e, de carona, a Bolsa de Valores de São Paulo fechou a semana com a quarta alta consecutiva.

Após chegar a superar os 65 mil pontos, flertando com as máximas do ano, o Ibovespa reduziu no final a alta para 0,57, aos 64.922 pontos. Na semana, o ganho foi de 3,7 por cento, elevando a variação positiva em abril para 6,5 por cento.

O giro financeiro de 5,58 bilhões de reais foi levemente reforçado por duas operações: a estréia das ações ordinárias da Hyupermarcas -- que fecharam em queda de 1,8 por cento, a 16,70 reais -- e a oferta de permuta de ações da Cosan, que contou com a adesão de apenas 15,5 por cento das ações. Os papéis subiram 0,8 por cento, a 27,15 reais.

Segundo profissionais do mercado, o movimento teve forte influência dos mercados internacionais, destacadamente Wall Street, onde o índice Dow Jones subiu 1,8 por cento, em meio ao otimismo de que o Citigroup vá, sob a liderança de um novo presidente-executivo, se recuperar da crise de crédito.

Na bolsa paulista, o movimento foi puxado pelas ações de bancos e de empresas de telefonia. Os papéis preferenciais da Oi avançaram 2,8 por cento, 43,47 reais. No setor financeiro, o destaque foram as units do Unibanco, com alta de 3,2 por cento, a 22,80 reais.

As ações de Petrobras e Vale, as mais negociadas da Bovespa, tiveram movimento mais discretos. Segundo operadores, os investidores evitaram formar posições mais firmes nos papéis de ambas, que são o foco da disputa dos contratos de opções, com vencimento na próxima terça-feira, um dia depois do feriado de Tiradentes.

Assim, as ações preferenciais da Petrobras subiram 0,8 por cento, a 104,40 reais, enquanto as preferenciais da Vale caíram 0,2 por cento, a 51,70 reais.

(Edição de Vanessa Stelzer)