Pré-candidatos a 2010 ajudam e pegam carona no horário eleitoral

terça-feira, 19 de agosto de 2008 16:25 BRT
 

Por Fernando Exman

BRASíLIA (Reuters) - Pré-candidatos à Presidência da República aproveitarão a propaganda eleitoral em rádio e televisão para aumentar a exposição de seus nomes em todo o país com vistas a 2010.

Os programas em rede nacional começaram nesta terça-feira e acabam no dia 2 de outubro. Nas cidades em que houver segundo turno, a propaganda recomeçará em 13 de outubro e acabará no dia 24 do mesmo mês.

O interesse dos aspirantes ao cargo de presidente nas campanhas locais é estratégico. Além de ajudarem as candidaturas de aliados, eles tentam promover suas próprias imagens junto ao eleitorado. Do ponto de vista dos candidatos a prefeito e vereador, essas aparições também são positivas.

Para o diretor de Projetos do Instituto Sensus, Américo Antunes, participações de ministros ou governadores nos programas de televisão podem significar para os eleitores que esses candidatos têm influência política e terão mais capacidade para governar.

"É uma via de mão dupla. Para governadores e ministros, essa é uma exposição preciosa, que acaba sendo um trampolim para o momento seguinte em que eles serão candidatos", ressalta o diretor do instituto de pesquisas de opinião.

Professor de ciência política da Universidade de Brasília (UnB), David Fleischer pondera que a participação de ministros e governadores em campanhas de aliados já é uma tradição no Brasil. Nesse caso, complementa o especialista, eles querem garantir o apoio de prefeitos e vereadores em futuras eleições.

PAC E BOLSA FAMÍLIA

Apontada como a favorita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para disputar a eleição presidencial de 2010, a chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, já gravou participações especiais para os programas de televisão das candidatas petistas Maria do Rosário e Gleise Hoffmann, que disputam as prefeituras de Porto Alegre e Curitiba, respectivamente. Quando esteve nessas duas capitais, Dilma colaborou ainda com as campanhas de correligionários de outras cidades desses dois Estados.   Continuação...