Lula vê preconceito contra Marta em São Paulo e critica Serra

sábado, 18 de outubro de 2008 15:42 BRT
 

Por Maurício Savarese

SÃO PAULO, 18 de outubro (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou neste sábado que a candidata do PT à prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, "nunca foi perdoada pela elite" por ser antiga defensora dos direitos dos mais pobres e das minorias, como os homossexuais.

A declaração de Lula vem no fim de uma semana em que a campanha da candidata petista sofreu duras críticas por ter supostamente levantado suspeitas sobre a sexualidade do prefeito Gilberto Kassab (DEM) --candidato à reeleição e que leva vantagem nas pesquisas de intenção de voto.

"Quando nós tínhamos esse preconceito, ela defendia (os homossexuais) na TV Mulher", disse Lula em ato com movimentos sociais pró-Marta em São Paulo, referindo-se a um programa apresentado pela petista, antiga ativista pela união civil entre pessoas do mesmo sexo.

"Quem é que participava dessas atividades (Parada Gay) na Avenida Paulista? Quem é que é endeusada na Avenida Paulista? Exatamente essa mulher", completou Lula, enquanto se voltava para um canto onde estavam bandeiras do arco-íris, símbolo homossexual.

Nascido em Guaranhuns (PE) e formado torneiro mecânico, Lula afirmou que Marta, psicóloga oriunda de uma rica família paulistana, sofre mais preconceito do que ele.

"Aqui em São Paulo... tem um bando de gente, que é uma minoria, mas que tem influência, que não aceita que você tenha com seus próprios méritos as mesmas coisas que ela tem. Por isso que eu disse a você, Marta, faz seis anos: eles não vão te perdoar."

O presidente estava acompanhado pelos ministros Orlando Silva (Esportes) e Luiz Barreto (Turismo).

  Continuação...