PANORAMA-Mercado mostra volatilidade com incerteza sobre crise

terça-feira, 18 de dezembro de 2007 18:24 BRST
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 18 de dezembro (Reuters) - A cautela com a crise global de crédito trouxe volatlidade para os mercados nesta terça-feira, mesmo com a injeção de 500 bilhões de dólares do Banco Central Europeu (BCE) no mercado interbancário e com o lucro recorde da Goldman Sachs (GS.N: Cotações) no último ano fiscal.

O dólar, que passou a maior parte do dia em queda, fechou o dia com leve alta de 0,06 por cento. Já a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) subiu cerca de 2 por cento e devolveu parte da forte queda de mais de 4 por cento de segunda-feira.

A operação do BCE, com volume atípico e acompanhada de leilão semelhante realizado pelo Banco da Inglaterra, teve o objetivo de aliviar a pressão sobre as taxas interbancárias.

Mais tarde, a Goldman Sachs, maior corretora do mundo em valor de mercado, revelou que teve lucro recorde no ano fiscal encerrado em 30 de novembro, dando impulso adicional às ações do setor financeiro. Mas o gás durou pouco depois que executivos da Goldman disseram estar ainda cautelosos com os desdobramentos da crise de crédito.

Mesmo a operação dos bancos centrais não mereceu confiança completa por parte dos investidores.

"Nas últimas quatro semanas, os próprios bancos se preocuparam com o impacto da relutância que tiveram em emprestar, que pode levar a uma desaceleração mais forte nos Estados Unidos", disse Mervyn King, presidente do Banco da Inglaterra, a uma comissão parlamentar.

"Os bancos agora estão inundados de dinheiro. A questão não é se eles têm recursos suficientes, e sim se eles estão dispostos a emprestá-los", acrescentou.

Na quarta-feira, é a vez do Morgan Stanley (MS.N: Cotações) divulgar os resultados do último trimestre. Os números virão a público antes da abertura das bolsas norte-americanas. Na agenda de indicadores norte-americanos, há só um dado programado, sobre o mercado hipotecário.   Continuação...