Bolsas da Ásia recuam por temores sobre consumo nos EUA

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008 08:21 BRT
 

Por Tom Miles

HONG KONG (Reuters) - A maior parte das bolsas de valores asiáticas encerrou a segunda-feira em queda depois que dados sobre o consumo nos Estados Unidos desencadearam novas preocupações sobre o poder de compra do norte-americano. O petróleo passava dos 96 dólares o barril e outras commodities também avançavam, batendo recordes em alguns casos.

O índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico exceto Japão caía 0,55 por cento, às 8h04 (horário de Brasília).

A bolsa de TÓQUIO fechou praticamente estável, zerando os ganhos do dia depois de um início em alta.

"Parece talvez que o cenário de queda está se estabilizando e o índice Nikkei agora pode subir lentamente", afirmou Takeshi Osawa, gerente de fundos na Norinchukin Zenkyoren Asset Management.

Mas Osawa apontou que o Nikkei pode cair novamente nos próximos meses se o iene se valorizar muito frente ao dólar ou se as empresas registrarem fracos resultados trimestrais.

Dentre os papéis que avançaram estavam a Toshiba e a Sony, que subiram depois que uma fonte da Toshiba disse à Reuters que a companhia pode aceitar derrota na disputa pelo estabelecimento do formato de DVD de alta-definição. A empresa teria como interesse evitar uma cara batalha de marketing no mercado.

As produtoras de aço Nippon Steel e JFE Holdings também subiram depois de concordarem com um aumento de 65 por cento no preço do minério de ferro vendido pela Vale .

"O mercado ficou aliviado que um dos fatores negativos pesando nas ações foi eliminado", disse Takashi Aoki, vice-presidente da divisão de investimento da Mizuho Asset Management.   Continuação...

 
<p>A maior parte das bolsas de valores asi&aacute;ticas encerrou a segunda-feira em queda depois que dados sobre o consumo nos EUA desencadearam novas preocupa&ccedil;&otilde;es sobre o poder de compra do norte-americano. O petr&oacute;leo passava dos 96 d&oacute;lares o barril e outras commodities tamb&eacute;m avan&ccedil;avam. Photo by China Daily</p>