Baosteel quer base internacional de produção e conta com Brasil

sexta-feira, 19 de outubro de 2007 10:03 BRST
 

Por Lucy Hornby e Coco Li

PEQUIM (Reuters) - O grupo chinês Baosteel, quinto produtor mundial de aço, precisaria adquirir uma empresa estrangeira ou estabelecer uma base produtiva internacional antes de lançar ações no mercado global, afirmou o presidente da companhia na sexta-feira.

No entanto, a empresa-mãe da Baoshan Iron and Steel Co. Ltd. não possuía um cronograma sobre potencial emissão de ações e não havia decidido pela listagem na bolsa de Hong Kong ou de Nova York, disse Xu Lejiang à repórteres, paralelamente ao Congresso do Partido Comunista em Pequim.

"Primeiro precisamos fixar a reputação dos nossos produtos (no mercado mundial), então esperamos realizar aquisições ou estabelecer uma base de produção internacional antes da listagem", explicou Xu.

A empresa afirmou que pretende expandir sua capacidade de produção de aço bruto para 80 milhões de toneladas por ano até 2012, por meio de aquisições e novas usinas. Atualmente, a capacidade instalada da maior produtora de aço da China é de cerca de 30 milhões de toneladas.

Cerca de 5 milhões de toneladas por ano seriam somadas à capacidade da companhia por conta de uma usina construída no Espírito Santo, em parceria com a Companhia Vale do Rio Doce . A Baosteel será proprietária de aproximadamente 60 por cento da usina.

Além disso, a empresa comprou participação em competidores menores, inclusive no Bayi Iron and Steel Group, como parte da estratégia de Pequim para consolidar a indústria.

Sem oferecer muitos detalhes, Xu também disse que a China adotará medidas mais rígidas para controlar as exportações de aço do país até o final deste ano.