BOVESPA-Mercado opera em alta com bom desempenho externo

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008 12:04 BRT
 

SÃO PAULO, 19 de fevereiro (Reuters) - A Bolsa de Valores de São Paulo opera em alta nesta terça-feira, acompanhando o bom desempenho dos mercados europeu e norte-americano.

Às 12h02, o Ibovespa subia 0,87 por cento aos 63.347 pontos. O volume financeiro negociado era de 1,19 bilhão de reais. Se atingir alta de 1,7 por cento ao longo do pregão, o índice anulará a desvalorização que vinha apresentando no acumulado desde janeiro deste ano. No pior momento do ano, em meados de janeiro, o Ibovespa registrou perda de mais de 15 por cento.

"As perspectivas são boas no cenário externo e interno. Acho que o mercado deixou um pouco de lado o pessimismo em relação à economia dos Estados Unidos", afirma Carlos Alberto Ribeiro, diretor da Novação Distribuidora.

Para Ribeiro, se continuar neste ritmo, além de anular as perdas, a bolsa paulista deve voltar em breve ao patamar de 66 mil pontos. Ele lembra, no entanto, que o mercado continua atento a todos os sinais emitidos pela maior economia do mundo.

Entre as ações de maior peso na composição do principal índice, a Vale (VALE5.SA: Cotações) tinha alta de 1,9 por cento, ampliando ganho de mais de cinco por cento registrado na véspera. Já as ações da Petrobras (PETR4.SA: Cotações) subiam 1,28 por cento, aos 86,04 reais.

As bolsas dos EUA abriram em forte alta nesta manhã, refletindo o bom humor que tomou conta do mercado nos últimos pregões com a ausência de indicadores ruins. Na véspera, o mercado dos EUA esteve fechado devido a feriado.

Pesquisa divulgada pela Reuters nesta terça-feira aponta que o crescimento econômico dos EUA deve ficar perto da estabilidade no primeiro trimestre deste ano, refletindo a crise hipotecária. Os economistas ouvidos reduziram seus prognósticos e agora esperam uma alta anualizada do Produto Interno Bruto (PIB) de 0,2 por cento no período. Há um mês, o prognóstico era de 0,7 por cento.

A sondagem apontou ainda que a ameaça de recessão deve levar o Federal Reserve a cortar a taxa de juros em 0,50 ponto percentual na reunião de março.

Na Europa, os mercados também operam em alta com ajuda de valorização de ações de bancos britânicos, mas o movimento era contido pelas ações do Credit Suisse CSGN.VX, que despencavam mais de sete por cento após divulgação de baixa contábil que surpreendeu investidores.

(Por Cláudia Pires, edição de Alberto Alerigi Jr.)