ANÁLISE-Saída de Fidel abre espaço para reformas graduais

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008 13:40 BRT
 

Por Esteban Israel

HAVANA (Reuters) - A aposentadoria política de Fidel Castro pode abrir caminho para reformas econômicas graduais em Cuba, dentro das fronteiras do socialismo e sob o comando de seu irmão Raúl, avaliam analistas.

Fidel, abatido por uma doença intestinal não revelada, despediu-se nesta terça-feira do poder depois de quase meio século comandando Cuba. Tudo indica que Raúl Castro, que o substitui interinamente há um ano e meio, pode ser confirmado como novo presidente pelo Parlamento no domingo.

Economistas em Cuba descartam reformas econômicas estruturais no curto prazo e apostam em mudanças paulatinas em setores como agricultura.

Para Phil Peters, especialista em Cuba do Lexington Institute em Washington, o impacto da aposentadoria de Fidel ainda é incerto.

"Mas suas idéias ortodoxas perderão força em um governo que busca soluções para profundos problemas econômicos criados pela centralização e pelo planejamento excessivo, sem mencionar a falta de liberdade econômica", disse ele.

O gerente de uma empresa multinacional que opera em Cuba concorda.

"A transição em Cuba ocorreu um ano e meio atrás. Este é um passo na direção correta de dar continuidade às reformas que a economia tanto precisa", disse ele, que preferiu não se identificar.

DESAFIOS ECONÔMICOS   Continuação...