Em sessão enfraquecida, dólar sobe com tensão global

segunda-feira, 19 de novembro de 2007 16:37 BRST
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO (Reuters) - O clima tenso nos mercados internacionais dominou a véspera de mais um feriado e fez o dólar fechar em alta de mais de 1 por cento nesta segunda-feira, em uma sessão mais fraca que o normal.

A moeda norte-americana terminou o dia cotada a 1,767 real, com valorização de 1,20 por cento. Em novembro, o dólar acumula alta de 1,67 por cento.

A iminência de mais um feriado praticamente travou os negócios na primeira metade da sessão. Na terça-feira, a Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) e a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não abrem em meio à comemoração do Dia da Consciência Negra em São Paulo e no Rio de Janeiro.

"(Com o feriado), os agentes ficam mais cautelosos ainda em relação ao dia de amanhã", disse Carlos Alberto Postigo, operador de câmbio da Action Corretora. "São os dois grandes centros financeiros" do Brasil, acrescentou.

A calmaria foi quebrada, porém, pela tensão nos mercados internacionais. Com a busca dos investidores por ativos mais seguros, as bolsas de valores em Nova York caíam com força e as moedas de emergentes perdiam espaço ante o dólar durante a tarde.

A turbulência, mais uma vez, teve origem no setor bancário, que tem sido atormentado pelas perdas no mercado de hipotecas de alto risco (subprime). O gatilho desta sessão foi a avaliação negativa feita pelo Goldman Sachs sobre o Citigroup, maior banco dos Estados Unidos.

Com isso, "mesmo não tendo uma grande liquidez, a cautela faz com que ele (operador) esteja atuando mais na ponta de compra do que na ponta de venda", explicou Postigo.

No final da sessão, o Banco Central voltou ao mercado para comprar dólares em leilão. Na operação, o BC definiu taxa de corte a 1,7598 real e aceitou, segundo operadores, ao menos duas propostas.

(Edição de Alexandre Caverni)