23 de Outubro de 2007 / às 04:02 / 10 anos atrás

ATUALIZA-PSDB quer proposta do governo para negociar CPMF

(Texto atualizado com declarações e dados)

Por Carmen Munari

SÃO PAULO, 19 de outubro (Reuters) - Com a concordância dos governadores José Serra (SP) e Aécio Neves (MG), o PSDB quer negociar a proposta de prorrogação da CPMF no Senado, desde que o governo federal apresente uma proposta que inclua a redução da carga tributária.

“Não passa a CPMF sem os votos do PSDB, não passa. Sem uma negociação que seja menos autoritária e mais brasileira não passa”, disse a jornalistas o senador Arthur Vigílio, líder da bancada de 13 parlamentares no Senado, de um total de 81.

Virgílio esteve no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, afinando o discurso com os demais líderes da legenda em relação à prorrogação da CPMF até 2011, como quer o governo. No encontro estavam presentes Serra, Aécio, o senador Tasso Jereissati (CE), presidente do PSDB, e o deputado Antonio Carlos Pannunzio, líder da bancada na Câmara.

Apesar de não ter concedido entrevistas, a reunião no Bandeirantes é uma mudança de postura de Serra. Até a semana passada, ele dizia publicamente que a CPMF era uma questão do Congresso. A posição do PSDB é oposta à dos Democratas, que pretende derrubar a proposta.

“O tempo nosso de paciência em relação à soberba do governo está se esgotando. Não fechamos questão. Estamos aguardando que o governo desça desse pedestal para vermos se tem alguma coisa que ele nos proponha que seja aceitável e palatável para a sociedade”, acrescentou Virgílio.

Os tucanos, no entanto, evitaram divulgar propostas concretas em relação à CPMF. Afirmaram apenas que querem reduzir a carga total de tributos, freando os gastos federais, que consideram crescentes.

O senador disse que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, propôs uma reunião com o partido na próxima quinta-feira, data considerada distante.

“Não estão com pressa, nós tampouco, a minha primeira preocupação agora é torcer para o Felipe Massa fazer um bom papel na Fómula 1”, ironizou Virgílio. No domingo, o piloto brasieliro Felipe Massa participa do GP de Fórmula 1 em Interlagos.

O senador descartou propostas que vêm sendo divulgadas nos últimos dias. Disse que é “perfumaria” uma possível isenção da CPMF para quem tem renda até 1.200 ou 1.700 reais. Mudanças na Cide, o imposto do combustível, e mesmo inclusão de medidas em uma possível nova reforma tributária também foram afastadas.

Já a aplicação dos recursos da CPMF apenas na saúde estaria entre as exigências, segundo um dos participantes da reunião.

Potenciais candidatos à sucessão de Lula, Serra e Aécio teriam interesse na manutenção da contribuição que gera 40 bilhões de reais por ano ao caixa do governo. Já a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, apoiou moção dos governadores do Sul pela prorrogação do imposto.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below