RPT-Centrais pressionarão Senado para derrubar imposto opcional

sexta-feira, 19 de outubro de 2007 07:10 BRST
 

(Repete matéria publicada na noite de quinta-feira)

Por Carmen Munari

SÃO PAULO, 19 de outubro (Reuters) - As centrais sindicais vão pressionar o Senado para derrubar a decisão da Câmara dos Deputados que transforma em opcional o desconto em folha de pagamento da contribuição sindical.

"Se ficar optativo os sindicatos acabam", disse à Reuters Wagner Gomes, que deve presidir a partir de dezembro a Nova Central Sindical, cisão da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Está marcada para sexta-feira uma reunião de representantes das centrais, na sede da Força Sindical em São Paulo, para acertar as formas de ação. Se o Senado mantiver a mudança, ainda restará aos sindicalistas apelar ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que precisa sancionar o projeto.

As empresas descontam, no mês de março, um dia de trabalho de seus empregados e repassam os valores para sindicatos, federações e confederações. Com a decisão dos deputados, tomada na quarta-feira, o trabalhador precisa autorizar o desconto, o que praticamente inviabiliza o pagamento. Toda a cadeia sindical vive financeiramente desta contribuição.

A emenda, de autoria do deputado Augusto Carvalho (PPS-DF), foi incluída na medida provisória do governo Lula que reconheceu as centrais sindicais, uma luta de décadas dos sindicalistas --mas o que seria comemoração virou tormento.

Sindicalistas, que criticam a manutenção do imposto para os sindicatos patronais, dizem que já têm um modelo para alterar a contribuição, que foi acertado há tempos junto ao governo, mas nunca implementado.   Continuação...