BOVESPA-Petrobras e bancos puxam índice abaixo de 67 mil pontos

quinta-feira, 19 de junho de 2008 12:42 BRT
 

SÃO PAULO, 19 de junho (Reuters) - Atrelada ao movimento instável das bolsas internacionais, a Bolsa de Valores de São Paulo caía nesta quinta-feira, puxada pelas ações da Petrobras e do setor bancário.

Depois de um abertura positiva, o Ibovespa .BVSP registrava queda de 0,76 por cento, Às 12h36 (horário de Brasília), para 66.580 pontos, voltando para o menor nível desde 30 abril. O giro financeiro era de 2,2 bilhões de reais.

As ações preferenciais da Petrobras (PETR4.SA: Cotações), carro-chefe da bolsa paulista, caíam 2,20 por cento, valendo 44,40 reais, sob influência da queda do barril do petróleo CLc1 para a faixa de 134 dólares.

O setor financeiro também pesava sobre o índice, seguindo o mau humor internacional com o segmento. As units do Unibanco UBBR11.SA lideravam o movimento, com baixa de 2,39 por cento, a 21,24 reais.

"Isso é o mau humor externo com bancos, por medo de novas perdas", disse Edison Roberto Marcellino, diretor da corretora Finabank.

Pela manhã, o HBOS HBOS.L, maior financiador imobiliário britânico, alertou para uma baixa contábil de cerca de 2 bilhões de dólares no primeiro trimestre, por problemas no mercado de crédito.

A pressão sobre o índice era amortecida em parte pelo bom desempenho de ações de empresas de telefonia. Os papéis preferenciais da Vivo VIVO4.SA subiam 4,07 por cento, a 10,75 reais.

A operadora de telefonia móvel conseguiu em maio interromper um processo de perda de participação de mercado que já durava pelo menos desde o começo do ano, ao elevar sua fatia na indústria celular do país, segundo da dados divulgados na quarta-feira pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

As ações preferenciais da Brasil Telecom Participações BRTP4.SA avançavam 1,79 por cento, a 25,01 reais, enquanto as preferenciais da OI TNLP4.SA tinham ganho de 1,19 por cento, cotadas a 42,65 reais.

A OI anunciou pela manhã uma oferta pública para aquisição das ações da Brasil Telecom.

(Reportagem de Aluísio Alves; Edição de Renato Andrade)