Virgílio será relator de caso Renan; plenário vota na quinta

segunda-feira, 19 de novembro de 2007 18:02 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), será o relator do processo que recomenda a cassação do presidente licenciado do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), por quebra de decoro parlamentar. A indicação foi feita nesta segunda-feira pelo presidente da Comissão de Constituição e Justiça, senador Marco Maciel (DEM-PE).

O processo, que saiu na semana passada do Conselho de Ética, deve ser votado na quarta-feira na CCJ. O conselho recomendou a cassação de Renan no processo em que ele é suspeito de utilizar "laranjas" para esconder que tenha adquirido veículos de comunicação em Alagoas. Parlamentares são proibidos de deter meios de comunicação.

O presidente interino do Senado, Tião Viana (PT-AC), disse nesta segunda-feira que está mantida para quinta-feira a votação do processo de Renan. A sessão será aberta, conforme nova regra da Casa, mas a votação permanece secreta.

A oposição articula para adiar a votação porque calcula que o senador será beneficiado se for julgado pelo plenário antes da apreciação da proposta de emenda constitucional da CPMF.

"O PMDB deve pressionar para que a votação (do caso Renan) aconteça antes da CPMF porque sabe que se ficar para depois o PT pode votar pela cassação", disse a jornalistas o senador Papaléo Paes (PSDB-AP).

A proposta da CPMF deve dar entrada no plenário nesta terça-feira, mas vai cumprir prazos regimentais.

Renan já foi absolvido, em 12 de setembro, da primeira representação, acusado de pagar pensão com recursos de um lobista, e ainda se livrou no conselho de representação sobre favorecimento a uma cervejaria. Há outras duas representações contra ele em tramitação.

(Por Carmen Munari)