Chineses fazem 3 minutos de silêncio por vítimas de terremoto

segunda-feira, 19 de maio de 2008 08:45 BRT
 

Por Lucy Hornby

PINGTONG, China (Reuters) - De cidades tomadas por tendas na província de Sichuan até a Praça da Paz Celestial em Pequim, sirenes tocaram e milhões de chineses lembraram por três minutos a morte de dezenas de milhares de pessoas no terremoto da semana passada.

O momento de luto foi feito por todo o país de 1,3 bilhão de habitantes, às 14h28 (horário local), exatamente uma semana depois do terremoto de magnitude 7,9 atingir a província de Sichuan, no sudoeste do país.

O número de mortos pelo terremoto subiu para mais de 34 mil na segunda-feira. Só na província de Sichuan, os prejuízos foram de cerca de 67 bilhões de iuanes (9,6 bilhões de dólares).

Cerca de 220 mil pessoas ficaram feridas no desastre, o pior no país desde 1976, e as autoridades acreditam que mais 9.500 pessoas ainda estejam soterradas nos escombros em Sichuan. A maioria delas deve estar morta, mas algumas ainda estão sendo resgatadas com vida.

"Acho que os três minutos foram importantes porque significam que todo mundo, do governo central a cada um dos indivíduos, está pensando em nós. Porque isso é pior que uma guerra", disse He Ling, policial da cidade de Pingtong, que foi quase totalmente destruída pelo terremoto.

Enquanto as equipes de resgate terminavam seu trabalho e as buzinas de carros soavam, outro tremor atingiu a área e ocasionou um pequeno deslizamento de terra em um desfiladeiro vizinho.

O Exército e os médicos se juntaram aos cidadãos de cabeça baixa e uma enorme bandeira chinesa tremulava entre uma grande pilha de entulho.

Em Beichuan, outra cidade devastada pelo terremoto, centenas de trabalhadores do resgate abaixaram as cabeças e depositaram coroas de flores retiradas das árvores da região e pedaços de papel retirados dos escombros.   Continuação...

 
<p>Estudantes da prov&iacute;ncia de Jiangsu formam um cora&ccedil;&atilde;o para homenagear as v&iacute;timas do terremoto no anivers&aacute;rio de uma semana da trag&eacute;dia, em 19 de maio de 2008 . Photo by China Daily</p>