Governo descarta propor recriação da CPMF para a saúde

segunda-feira, 19 de maio de 2008 14:53 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O governo descartou propor a recriação da CPMF para garantir verbas adicionais à saúde após a aprovação da Emenda 29, que elevará os investimentos da União no setor, disse o ministro das Relações Institucionais, José Múcio.

A proposta de recriação de uma CPMF exclusiva para a saúde, com alíquota bem menor que a anterior, foi debatida na reunião da coordenação política, nessa segunda-feira, mas o governo decidiu que a questão deverá ser tratada pelo Congresso.

A Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), criada no governo de Fernando Henrique Cardoso e que vinha sendo prorrogada desde então, foi derrubada pelo Senado em dezembro do ano passado.

"O governo espera que da mesma forma que aprova a Emenda 29, o Congresso proponha uma forma de receita", disse Múcio, ressaltando que, se aprovada, a medida representará uma despesa de 23 bilhões de reais daqui a quatro anos.

(Texto de Mair Pena Neto; Edição de Eduardo Simões)