CORREÇÃO-Brasil Tel e Claro obtêm licenças 3G para região Sul

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007 14:37 BRST
 

Corrige dias da semana no terceiro e no quinto parágrafos. Segue versão corrigida.

SÃO PAULO (Reuters) - A Brasil Telecom conquistou nesta quarta-feira sua primeira licença de terceira geração (3G) de telefonia móvel, ao oferecer 483 milhões de reais por lote que engloba áreas de cobertura em que já opera, o que representou ágio de 41,56 por cento.

A Claro também obteve licença para a mesma região, com oferta de 369,5 milhões de reais mas ágio maior, de 62,44 por cento, porque o preço mínimo era inferior ao do lote arrematado pela Brasil Telecom já que a faixa de frequência é mais estreita.

A licitação de frequências de 3G começou na terça-feira na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), com forte disputa. Os cinco primeiros lotes --dois deles arrematados pela Vivo e os outros três para TIM, Claro e Oi, um para cada-- tiveram ágio médio de 153,79 por cento, com arrecadação de 2,44 bilhões de reais.

A terceira geração de telefonia móvel permite a oferta de serviços avançados, como a exibição de vídeos pelo celular.

As licenças compradas pela Brasil Telecom e Claro nesta quarta-feira envolvem áreas do Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Rondônia e Acre.

O preço pago pelas licenças no primeiro dia do leilão ficou acima do esperado pelos analistas do Morgan Stanley, mas eles acreditam que as aquisições sejam estratégicas para garantir capacidade de rede adicional para as operadoras no país.

"Apesar do preço ter sido acima do que esperávamos, acreditamos que o impacto no fluxo de caixa das empresas não será significativo à medida que o pagamento será feito ao longo dos próximos oito anos", afirmaram, em relatório, os analistas Vera Rossi e Davis Bell, do Morgan.

Ainda nesta quarta-feira devem ser leiloadas licenças 3G referentes à região metropolitana de São Paulo, onde há expectativa de concorrência acirrada. Nove empresas estão participando do leilão de frequências organizado pelo governo.