Morgan Stanley tem prejuízo mas obtém dinheiro de fundo chinês

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007 12:13 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - O Morgan Stanley reportou nesta quarta-feira prejuízo no quarto trimestre fiscal depois de registrar baixas contábeis totais de 9,4 bilhões de dólares. O segundo maior banco de investimentos dos Estados Unidos afirmou ainda que está levantando 5 bilhões de dólares junto à China Investment Corp, para elevar seu capital.

O Morgan teve prejuízo líquido nas operações contínuas de 3,59 bilhões de dólares, ou 3,61 dólares por ação, no trimestre encerrado em 30 de novembro. No mesmo período do ano anterior, o banco registrou lucro de 1,98 bilhão de dólares, ou 1,87 dólar por ação.

No mês passado, o Morgan alertou que suas baixas contábeis por conta da exposição à crise de hipotecas de alto risco (subprime) e outros ativos somariam cerca de 3,7 bilhões de dólares. Mas nesta quarta-feira o banco revelou registro de outros 5,7 bilhões de dólares em baixas contábeis. Combinadas, essas perdas representam prejuízo de 5,8 dólares por ação.

Para erguer o capital perdido nas baixas contábeis, o Morgan Stanley concordou em vender 5 bilhões de dólares em títulos conversíveis em ações para a China Investment Corp. Isso representa fatia de 9,9 por cento do banco norte-americano.

A China Investment Corp --um fundo controlado pelo governo chinês-- será um investidor passivo e sem lugar na diretoria do Morgan Stanley.

RECEITA NEGATIVA

A receita líquida do Morgan no quarto trimestre fiscal foi negativa em 450 milhões de dólares, ante faturamento de 7,85 bilhões de dólares no mesmo período do ano anterior.

Analistas estimavam um prejuízo líquido de 0,39 dólar por ação e receita de 4,1 bilhões de dólares.

O resultado negativo é o primeiro revés para o banco sob o comando do presidente-executivo John Mack, desde que assumiu em 2005. Mack direcionou o Morgan Stanley para negócios mais arriscados e expansivos, incluindo hipotecas, numa tentativa de se aproximar do rival Goldman Sachs .

(Por Joseph A. Giannone)