Lula pede a ministros indicação de cortes para compensar CPMF

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007 13:27 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - Após a primeira reunião entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e cinco ministros para discutir compensações à perda da CPMF, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), que participou do encontro, disse que não será divulgado um pacote de medidas, como chegou a ser previsto.

O senador afastou, por enquanto, aumento de impostos, criação de tributos e realização de cortes no Orçamento, mas disse que o presidente Lula pediu aos ministros para indicarem reduções de aplicação de recursos que, segundo ele, devem ocorrer em praticamente todas as áreas da administração.

"Antes dos estudos técnicos não dá para prever onde vão ser os cortes. Eles vão ocorrer em todo o Orçamento, em umas áreas mais, em outras áreas menos, mas isso ainda não está definido", disse Jucá a jornalistas nesta quarta-feira.

Ele afirmou que essas questões serão discutidas em fevereiro, na volta dos trabalhos do Congresso, quando o novo texto orçamentário deve ser votado.

O senador confirmou, no entanto, que devem ocorrer cortes nas emendas parlamentares. "Quarenta bilhões de reais (arrecadação anual da CPMF) é muito, o corte será grande e poderá atingir as emendas."

Participaram da reunião no Palácio do Planalto os ministros Guido Mantega (Fazenda), Paulo Bernardo (Planejamento), Dilma Rousseff (Casa Civil), José Múcio Monteiro (Relações Institucionais) e Miguel Jorge (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior).

(Texto de Carmen Munari; Edição de Mair Pena Neto)

 
<p>O presidente Luiz In&aacute;cio Lula da Silva gesticula durante coletiva de imprensa no Pal&aacute;cio do Planalto, em Bras&iacute;lia. Ap&oacute;s a primeira reuni&atilde;o entre o presidente Lula e cinco ministros para discutir compensa&ccedil;&otilde;es &agrave; perda da CPMF, o l&iacute;der do governo no Senado, Romero Juc&aacute; (PMDB-RR), que participou do encontro, disse que n&atilde;o ser&aacute; divulgado um pacote de medidas, como chegou a ser previsto. Photo by Jamil Bittar</p>